8.1.09

pequeno libro de oraciones


san sebastián,

roga por mim, porque eu perdi a batalha que nem soube que viria a ter. roga por mim porque de um modo honesto eu pedi, não porque eu rezo. já não sei rezar. só sei pedir. então peço que me ouça e que me deixe dizer na dobra do seu manto caído aos pés: 'não pretendo me despedir'. e não pretenda, também, desistir de mim, pois estive aos seus pés sem que me soubesse, sem que eu quisesse não existir pra ti. com humildade e insistência eu resisti à fé, à fome, ao Homem. aos homens. eu recusei a tudo, mesmo não sabendo a que recusava, para que pudesse não transgredir os seus caminhos santos. no entanto, eu me arruinei nas libações e me permiti não ser um dos seus. só que eu não soube como voltar, como entoar novamente os seus hinos de louvor com o coração limpo. não soube como voltar sem tropeçar na toga e na alma ofendida. não saberia como voltar sem temer que me olhasse e dissesse: 'seu corpo me ofende como o mundo ofende deus'. então volto aqui e peço que rogue, não precisa se mover ou me olhar, não quero por mim: peço que rogue a deus para que você possa me perdoar.e que volte a ser (meu). que crive meu corpo com suas flechas, mas volte para mim, esse seu pequeno ateu.

3 comentários:

Christiano Scheiner disse...

tão belo
parabéns

Anônimo disse...

Lindo do começo ao fim.

netin disse...

Adorei....além de ser um texto muito forte,impressionar que tem um ssentimento carregado de emoções..parabéns.

Pesquisar o malote