21.4.08

daniel na alcova dos leões



dear,


talvez eu nunca seja feliz, mas esta noite estou contente. as primeiras linhas que eu escreveria depois da segunda grande catástrofe. sylvia plath se apressou. plágio nº 3. estou de nervos expostos, à flor da pele, o suor inteiro das flores. tenho tanto medo dos disparos de felicidade instantânea, dos flashbacks à queima-roupa, do período de instabilidade que sucede a grande noite. um pouco de colagem e de enorme intensidade. wild is the wind tocando na vitrola. cat power. nina simone. um bar esfumaçado. hopper. nós dois dançando colados e molhados de tanta chuva e vodka com coca-cola. a câmera vindo de fora, em travelling, slow motion, depois por dentro, captando as mãos trêmulas, o beijo estalado e a canção demolidora ...with your kiss my life begins...em seguinda, breve documentário sobre mapas, signos e rotas do destino, geografia corporal, hidrografia labial, paixões múltiplas e feitiços ardentes. de olhos fechados, às cinco da tarde, tenho lições moderadas de cleptomania. às seis, pique-esconde e jogral: eu te gosto, eu te quero, eu te. assustadoramente tolo. pause. another tape. se a demora é interminável, o reencontro é o maior bem possível. i like your thoughts. i like you. sem legendas ou close caption. saiba que estou pedindo a deus que não faça eu gostar assim tão rápido e violento. saiba que ao mesmo tempo peço ao diabo que me deixe queimar e arder em febre, embora sabendo pecado me entregar assim por completo e inteiramente grato. habilidade desconhecida nº 11: i put a spell on you, dolorido, delicioso. minhas palavras são feitas do coração do morango e de sua polpa suculenta. nunca contei antes, mas o segredo é a parte essencial das transformações do destino. eu espero pela estrada, our road of no return, sem cadernos de anotação ou de desapontamentos. i hope so. i miss you.
...
...
alcova de estocolmo, noite passada.

4 comentários:

B. disse...

Intenso, como tudo o que e bom. Profundo. E lendo isso eu me sinto rasa.

Binho disse...

Cara, muito massa! Sua habilidade de transformar a realidade em um texto no sentido mais derridiano possível é tremenda. Sem falar de um ar poético que fica espiralando por todo o texto!
10
parabéns!

B. disse...

Sinto-me, sim.. e se fosse a pouco tempo atrás eu me sentiria afogada em cada palavra, porque eu estou apaixonada, mas meu pranto secou de tanto cansar.

Sorte!

B. disse...

Não tenho sabido muito no que acreditar, mas vez ou outra isso contece. É, ao menos comigo. Tem acontecido por aí? E acreditar que paixão dura de dois meses a tres anos?
Eu realmente não sei mais no que devo acreditar.

Pesquisar o malote