11.10.10

"todo sinal é uma profecia"


honey:

tudo que pude dizer a ti nos últimos dias foi feito da língua dos sinais. não que eu tenha riscado o ar com gestos entre o peito e a boca. ou convocado os dedos, as mãos, os olhos para verbalizar o inexprimível. não que eu tenha emitido um som oco para os teus ouvidos: a língua dos sinais não usa a língua: usa profecias. depois da última vez que te vi, soube dos teus olhos o futuro. depois: o silêncio. o silêncio em cada carta, linha de mão, runa. mal consigo pensar, tenho horror aos vaticínios da carne e mais ainda a tudo que é sem voz. voiceless. se eu te importasse mesmo, tu não serias tão egoísta em lembrar apenas de ti. as tábuas estalam, é o teu nome, estalam as caixas, com o teu nome, a vela apaga, em teu nome. os sinais, em sua língua muda, me dizem: teu amor foi apenas temporário.

Um comentário:

pinheironatalia disse...

Suas palavra m'encatam. Amores temporários me perseguem.

Pesquisar o malote